quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Próspero Ano Novo

     Queridos irmãos, tios, tias e internautas. Por meio deste breve texto, desejo-lhes um 2012 cheio de amor, alegria, paz, muitas felicidades em suas vidas e que vocês possam alcançar tudo que almejam em mais um ano que se inicia.
     2011 foi um ano de muitos avanços: uma bela evolução deixou clara a união adquirida entre a 1º região, fato atingido graças ao belo  trabalho feito por todos, sem exceção. Fico bastante  contente, acho que nao só eu, mas todos que trabalharam arduamente em busca de toda contemplação que tivemos. Cada elogio foi dignamente conquistado por nós.
     Enfim, com este breve recado, deixo aqui minha satisfação com a Ordem Demolay, principalmente no ano de 2011.
Eu, Tiago Pacielles Rodrigues, de São Luis (MA) para Sete Lagoas (MG) desejo para todos os meus votos de FELIZ ANO NOVO!!!,  sei que  estou fisicamente  longe de meus irmãos, mas podem ter certeza que em pensamentos estou próximo de cada um de vocês.



Tiago Pacielles
Tiago Pacielles é estudante
Atualmente Mestre Conselheiro do Capítulo Sete Lagoas

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

RETROSPECTIVA 2011

2011. Festas, confraternizações, filantropias, viagens, reuniões e mais reuniões marcaram este ano. Mas o principal, que esteve evidenciado por todos de nosso Capítulo todo o ano e que se não fosse por isso, não teria sido o que foi...   A UNIÃO 
A UNIÃO FOI A PALAVRA-CHAVE DE 2011...

Que 2012 seja bem melhor e que estejamos cada vez mais unidos!!!! UM POR TODOS.... TODOS POR UM!!! 

video

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Solidariedade: está nas suas mãos praticar...

Clique na imagem para ampliar

A experiência em pessoa: O papel do Sênior

A Ordem DeMolay não foi feita para ter uma idade limite para seus iniciados. Uma vez DeMolay, carrega-se para sempre dentro de si as essências de nossa irmandade. A idade de iniciação dos membros é dos 12 aos 21 anos incompletos, entretanto, essa faixa etária sinaliza para nós o período onde estamos nos caminhando para a vida adulta, tempo de aprimoramento para o futuro...



O meio dia de nossas vidas, esse momento crucial no qual a coroa da juventude é substituída pela coroa da maioridade é muito significativo para todo DeMolay. É chegada a hora de, sobretudo, reafirmarmos todos os nossos compromissos trabalhados e conquistados no período de DeMolay ativo, levando para a vida adulta maturidade, responsabilidade, confiança, liderança, sensatez, humildade - evidentemente sem nos esquecermos de todos nossos compromissos feitos nos capítulos - desde a vigília eterna as sete virtudes até os mais intrínsecos ideais de nossa ordem que carregaremos eternamente em nós.
A oportunidade de estar em um ambiente como um Capítulo DeMolay é especial, única. Particularmente, vivo intensamente cada momento da Ordem DeMolay. Digo isso, porque apesar da maioridade, faço o possível para conciliar meus deveres com as atividades do Capítulo. A base que a Ordem me forneceu é firme e estável: pra vida toda. Levo comigo além dos ensinamentos o fator humano, e essa amizade que não tem palavras para descrever, porque vai além: uma irmandade, forte e sólida. Tenho a consciência das minhas atribuições no Capítulo, entendo que dentro delas há muito a ser feito, e que preciso trabalhar junto a meus irmãos. Vejo a maioridade como um ponto de chegada a preparação do DeMolay para a vida adulta, jamais como barreira: entendo que nós, Seniores DeMolays, somos convidados a trabalhar de outra forma, mas deixar de fazê-lo, não.  Para isso, há muitas formas de ajudar os Capítulos e a Ordem, o trabalho continua, e não há duvidas...

O limiar da idade de um DeMolay nunca deve ser barreira de sua atuação. Essa ótica permite que com humildade, o Sênior DeMolay possa contribuir com a experiência de ordem e de vida que já adquiriu.

Essa troca é essencial: afinal, também somos convidados a aprender com os irmãos mais jovens, e entender que o significado da nossa ordem também passa por essas experiências: afinal somos todos eternos aprendizes na caminhada da vida, e também eternos DeMolays.


Informe-se mais sobre o Sênior DeMolay em:

Associação Alumni Nacional – SCODB

Associação Alumni Minas Gerais - GCEMG
Saulo Junior
Saulo Junior é Senior DeMolay e estudante Pré-Universitário

domingo, 25 de dezembro de 2011

Desvendando a simbologia

Veja o vídeo acima com a explicação do Brasão Atual.


   COROA simboliza a Coroa da Juventude, que nos lembra as sete Virtudes Cardeais de um DeMolay. É um símbolo de Realeza e Poder, que deve ser a mesma pertinente ao caráter de todo o jovem que souber compreender e trazer consigo o exemplo das virtudes enunciadas pela Ordem como cardeais, que só serão obtidas com o tempo e com experiências da vida.É necessário ressaltar que "a Coroa é um símbolo de Realeza e Poder, que deve ser a mesma pertinente ao caráter de todo o jovem que souber compreender e trazer consigo o exemplo das virtudes enunciadas pela Ordem como cardeais, que só serão obtidas com o tempo e com experiências da vida". 
     OS RUBIS, dez no total são simbólicas do Fundador Frank S. Land, e dos nove DeMolays originais - Louis G. Lower, o primeiro DeMolay; Ivan M. Bentley; Edmund Marshall; Gorman A. McBride; Jerome Jacobson; William W. Steinhilber; Elmer Dorsey; Clyde C. Stream e Dalph Sewell. 
     O ELMO é emblemático da nobreza, sem a qual não haveria o caráter. 
     A LUA CRESCENTE é um sinal de segredo e serve para relembrar os DeMolays do seu dever de jamais revelar os segredos da Ordem ou trair a confiança de um amigo. 
     A CRUZ BRANCA DE CINCO BRAÇOS simboliza a pureza de intenções e o lema da Ordem: "Nenhum DeMolay fracassa como cidadão, como um líder ou como um homem". 
     AS ESPADAS CRUZADAS denotam Justiça, Força e Cortesia. Elas simbolizam a incessante guerra do DeMolay contra a arrogância, despotismo e intolerância. 
     AS ESTRELAS em torno do crescente são simbólicas da esperança e sempre nos relembra das obrigações que um Irmão da Ordem tem para com o outro. 
   COR AMARELA predominante, significa a luz. 
     A COR VERMELHA - significa força, energia e coragem. 
     A COR AZUL - está para equilibrar o vermelho, formando o homem perfeito.


COMPLEMENTO: ORDEM CRONOLÓGICA DOS BRASÕES
















Fontes: http://www.demolaypb.com.br/index.php?pg=texto&area=simb&id=16

A moderação

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Sexta virtude


'' A PUREZA DE PENSAMENTOS, PALAVRAS E AÇÕES...''


A Sexta Virtude, Pureza, é talvez a mais complexa. O que é ser puro? Puro em palavras, em sentimentos, em ações, nos gestos e nos pensamentos? Como colocar isso em prática, dentro e fora da Sala Capitular? Eu sei reconhecer se minha própria visão é pura ou turva?
A Igreja Católica considera os dias 1 e 2 de novembro como festas. O dia 2 é muito conhecido aqui no Brasil por ser feriado nacional. O dia 1º, contudo, costuma ser largamente ignorado – o Dia de Todos os Santos. Esta é a data para comemorar todas as pessoas que tornaram-se exemplos àqueles ao seu redor por viverem como santos, isto é, tornarem suas existências sagradas. São os santos anônimos que não receberam uma data no calendário litúrgico nem são venerados em algum santuário particular. Em simplicidade, suas ações tocaram todos os que conheceram.
Enquanto isso, no México, o dia 1º de novembro é a primeira parte da grande comemoração do Dia dos Mortos e é chamado Dia dos Inocentes, dedicado à lembrança das crianças que faleceram; elas são chamadas de inocentes ou ingênuas porque não têm conhecimento do bem e do mal, agindo somente por instinto. Precisam ser ensinadas e educadas para compreenderem as consequências de seus atos, tanto os bons quanto os maus.
Os DeMolays Ativos, de 12 a 21 anos, já não são mais inocentes. É muito comum, especialmente entre os homens, demonstrar que deixaram a meninice falando palavrões e fazendo referência ou insinuação ao sexo. Geralmente atuam desta forma emulando seus irmãos e colegas mais velhos ou mesmo seus pais.
Os seres humanos miram-se em seus pares e os imitam para sentirem-se parte de um grupo, para não perceberem-se sozinhos e solitários em um mundo tão grande. Nosso “Dad” Frank Sherman Land, fundador da Ordem DeMolay, tinha grande consciência deste fato e compreendeu que os garotos mais novos deveriam estar em contato com garotos mais velhos e se espelhar em seus bons exemplos – do contrário, era possível que na falta deles, acabariam adquirindo vícios dos homens dissolutos.
A Pureza é companheira direta da Cortesia, a Terceira Virtude. A má educação não condiz com um interior sem máculas. Como dissemos logo no início deste artigo, esta Virtude é possivelmente a mais complexa porque possui uma série de camadas e de sutilezas. Para ser sincero, todas as Virtudes e todas as lições têm um conjunto cada vez maior de significados e ensinamentos. Acontece que este é um caso particularmente notável onde é preciso mergulhar muito fundo no entendimento para conseguir colocar em prática o ideal.
É mais sincero aquele que não consegue pronunciar “Eu te amo” do que aquele que fala muitas vezes essas palavras sem qualquer sentimento envolvido. Palavras são apenas meios de comunicação, símbolos e signos para transmitir o significado, o verdadeiro sentido da mensagem. A pureza dos gestos e das palavras só existe com a pureza das intenções. Não adianta ser extremamente educado se os pensamentos são destrutivos e a cordialidade, falsa.
Isto não quer dizer que devemos simplesmente ignorar ou nos acostumar com qualquer forma de se expressar. Uma mente limpa não encontra desculpas para destratar subalternos, para tirar vantagem de colegas ou para adular supervisores. A Pureza é a verdade colocada em prática; não a verdade sarcástica ou insensível, mas a verdade de bons propósitos.
O Dr. House é sincero, mas não é puro. Sua atuação, apesar de ser completamente pautada pela franqueza, também é guiada por uma personalidade ególatra, autoabsorvida e irrascível. Mr. Catra é bastante direto e honesto em suas frases, mas o conteúdo e os assuntos de que trata não servem de exemplo de conduta.
Ao mesmo tempo, pureza não é ingenuidade ou inocência. O homem puro conhece o mal que existe no âmago dos homens e, acima de tudo, em seu próprio coração. Ele não reprimiu seus demônios interiores, ele os trouxe para a luz e entendeu que a sombra é parte da composição de qualquer ente. Compreendeu que possui pontos fracos e pontos fortes, mas que o caminho que leva ao Pai Celestial somente pode ser trilhado pelos portadores desta Virtude.
Tudo isso, no entanto, é apenas o primeiro nível, as águas superficiais do oceano da vela representada pelo Sexto Preceptor. 

Hugo Lima
Hugo Lima é Sênior DeMolay
Iniciado no Capítulo Petrópolis nº 470.

A essência, estamos absorvendo?

Vídeo com o texto abaixo. Se preferir, leia.


Sud?
Só me lembrava daquela forte dor no peito.
Como viera eu parar ali?
O ambiente era familiar. Já estivera ali, mas... quando?
Caminhava sem rumo.
Pessoas desconhecidas passavam por mim, contudo, não tinha coragem de
abordá-las.
Mas... Espere, que grupo seria aquele reunido de roupa característica?
Lógico! Não estariam indo e vindo de uma festa...Não são evangélicos ou algo parecido. É claro! São Irmãos!
Aproximei-me do grupo. Ao me verem chegar interromperam a conversa.
Discretamente executei o sinal do Grau Iniciático , obtendo resposta.
A alegria tomou conta de mim. Estava entre amigos.
dentifiquei-me. Perguntei ansioso o que estava acontecendo comigo.
Responderam-me com muito cuidado e fraternalmente. Havia desencarnado.
Fiquei assustado; e a minha família, os meus amigos, como estavam?
Estão bem, não se preocupe; no devido tempo você os verá, responderam.
Ainda assustado, indaguei do motivo de suas vestes.
Um deles me informou que estavam encaminhando a uma sala Capitular.
Sala Capitular? Templo maçônico. Vocês têm um?
Sim, claro. Por que não?
Senti-me mais à vontade, afinal fui um Mestre Conselheiro, Ilustre
Comendador Cavaleiro e ainda por cima Grande Comendador Chevalier, e, com certeza receberei as honras devidas a minha posição. Pedi para
acompanhá-los, no que fui atendido.

Ao fim da pequena caminhada avistei o Templo. Confesso que fiquei abismado.
Sua imponência era enorme. As colunas do pórtico... Majestosas.
Nunca vira nada igual. Imaginei como deveria ser seu interior e como me
sentiria tomando parte nos trabalhos.
Caminhamos em silêncio.
Ao chegar ao salão de entrada verifiquei grupos de Irmãos conversando
animadamente, porém em tom respeitoso.
O que parecia ser o líder do grupo e que me acompanhava chamou um Irmão que estava adiante:
-- Irmão 2º Diácono! Acompanhai o Irmão recém-chegado e com ele aguarde.
Não entendi bem. Afinal, tendo realizado o toque dos graus capitulares e da cavalaria, e estando com as minhas comendas de PMC, PICC e PGCC, esperava, no mínimo, uma recepção mais calorosa.
Talvez estejam preparando uma surpresa à minha entrada; para um irmão com minhas credenciais não poderia se esperar nada diferente. Verifiquei que os Irmãos formavam o cortejo para entrada no Templo.
A distância, não pude ouvir o que diziam, contudo, uma luminosidade
esplendorosa cercou a todos. Adentraram silenciosamente no Templo. Comigo ficou o Irmão 2º Diácono.
De tanta emoção não conseguia dizer nada. O tempo passou... Não pude medir quanto.
De repente, a porta do Templo se entreabriu o Irmão Mestre de Cerimônias, encaminhando-se a mim, comunicou que seria recebido.
Ajeitei-me, estufei o peito, verifiquei se minhas comendas não estavam
desleixadas e caminhei com ele. Tremia um pouco, mas quem não o faria em tal circunstância?
Respirei fundo e adentrei ritualisticamente ao Templo.
Estranho... Esperava encontrar luxuosidade esplendorosa, muito ouro e
riqueza. Verifiquei, rapidamente, no entanto, uma simplicidade muito grande.
Uma luz brilhante, vinda não sabe de onde iluminava o ambiente.
Cumprimentei o Mestre Conselheiro da reunião na forma usual. Ninguém se levantou à minha entrada. Mantinham-se calados... Respeitosos.
Não sabia o que fazer... Aguardava ordens... e elas vieram não voz firme do Mestre Conselheiro.
-- [...]
Reconhecendo a necessidade do exame de proeficiência em tais
circunstâncias, aceitei respondê-lo. Estufei o peito, e com voz grave
respondi:
-- [...]
Aguardei seguro, a pergunta seguinte.
Em seu lugar o Mestre Conselheiro, dirigindo-se aos presentes, perguntou:
-- Os Irmãos aqui presentes o reconhecem como DeMolay, Cavaleiro e
Chevalier?

Assustei-me. O que era isso? Por que tal pergunta?
O silencio foi total.
Dirigindo-se a mim, o Mestre Conselheiro emendou:
-- Meu caro Irmão visitante, os Irmãos aqui presentes não o reconhecem como DeMolay!
-- Como não? Disse eu. Não vêem minha insígnia? Não verificaram através da [M] do [S] e do [T]. Ainda por cima realizei o sinal dos graus passados!

-- Sim, caro Irmão - retrucou solenemente o Mestre.
-- Contudo não basta ter ingressado na Ordem, ter diplomas ou insígnias para ser um DeMolay. É preciso antes de tudo, ter construído o "seu Templo" e escolhido certo ao cruzar a vida, infelizmente verificamos que tal não ocorreu com o Irmão.
-- Observamos, ainda, que apesar de ter tido todas as oportunidades de
estudo e de ter galgado os Graus, não absorveu seus ensinamentos.
Sua passagem pela ponte da indecisão foi efêmera e marcada por erros.

Não pude agüentar mais. Retruquei:
-- Como efêmera? Vocês que tudo sabem não observaram minhas atitudes fraternas?
Fui interrompido.
-- Irmãos, vejamos então sua defesa.
Automaticamente, desenhou-se na parede algo parecido com uma tela imensa de televisão e na imagem reconheci-me junto a um grupo de Irmãos, tecendo comentários desairosos contra a administração de meu Capítulo.
Em outras imagens vi-me virando as costas para um irmão que me
cumprimentava, com o qual eu não simpatizava e que eu não procurava
conservar laços de fraternidade.
Era tudo verdade.
Envergonhei-me.
Tentei justificar mas não encontrava argumentos.
Lembrei-me, então, de minhas ações beneficentes. Indaguei-os sobre tal.
E mudando a imagem como se trocassem de canal, vi-me colocando a mão vazia no tronco da solidariedade. Era fato e, costumeiramente, o fazia, por achar que a contribuição não seria bem usado...
Por não ter o que argumentar, calei-me e lágrimas de remorso brotaram-me nos olhos. Iniciei a retirar-me cabisbaixo e estanquei ao ouvir a voz autoritária e ao mesmo tempo fraterna do Mestre Conselheiro que estava presidindo a reunião.
-- Meu Irmão. Reconhecemos suas falhas quando no orbe Terrestre e na Ordem DeMolay, contudo, reconhecemos, também que o Irmão foi iniciado em nossos Augustos Mistérios e em nossa fraternidade que deveria moldar seu caráter...
-- Prometemos em suas Iniciações protegê-lo e o faremos. O Irmão terá a
oportunidade de consertar seus erros, afinal, todos nós aqui presentes já os cometemos algum dia.
-- Descanse nesse plano o tempo necessário e, ao voltar à matéria para novas experiências, nós o encaminharemos novamente a Ordem DeMolay. Sua nova caminhada, com certeza, será mais promissora e útil.
Saí decepcionado, mas estranhamente aliviado. Aquelas palavras pareciam ter me tirado um grande peso.
Acordei, sobressaltado e suando muito. Meu coração disparado.
Levantei-me assustado, mas com certa alegria no peito.
Havia sonhado!
Dirigi-me ao guarda-roupa, minha indumentária ali estava. Instintivamente, retirei da camisa as minhas comendas e as guardei em uma caixa.
Ainda emocionado e com os olhos molhados de lágrimas, dirigi-me à minha mesa e com as mãos trêmulas e cheio de uma alegria juvenil, retirei da gaveta o Ritual do Grau Iniciático.





Adaptado do Texto "Sois um Maçom?", 
Texto e imagens retirados do blog: http://valtermunhoz.blogspot.com/


Mário Serra Ferreira, 
Mário Serra Ferreira é Sênior DeMolay
 Iniciado no  Capítulo Anápolis nº 007



terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Muito mais que presentes, onde está o Espírito Natalino?

      25/12, uma data tão esperada e aclamada. Durante o ano inteiro, pessoas de diversos países aguardam ansiosamente por essa data, mas qual é o porquê desta celebração ser sem dúvida a mais especial do ano? Bem, por vários motivos: temos o nascimento do menino Jesus e, logo, comemoramos o seu aniversário; agradecemos por tudo de bom que nos foi dado durante todo o ano e, por fim, mas não menos importante, pedimos que ‘’papai do céu’’ continue nos abençoando, nos protegendo.
     Natal, época de perdoar aqueles que nos magoaram durante o ano, de ganhar vários presentes, lembrancinhas da tia, do tio, dos pais, enfim, pedir aquele presente para a vovó.
Entretanto, mais importante que ganhar ou dar presentes é sem dúvida a confraternização, a magia de enfeitar a casa, a cidade, tirar a árvore de natal do fundo do armário e ter o prazer de montá-la com a família, fazer uma ceia belíssima, uma ceia bem farta e feliz.
     Com o espírito natalino incrementado em nós, transformamo-nos em seres humanos menos egoístas e assim doamos em maior quantidade, procuramos fazer o bem que não praticamos durante todo o ano. Posteriormente, é só mandar a cartinha para o ''Papai Noel'', colocar o sapatinho na janela e esperar que o ‘’bom velhinho’’ traga além de presentes, ou seja, algo muito mais importante como paz, saúde, felicidade, juízo na cabeça de todos nós e um mundo mais seguro de se viver.

Bom Natal a todos, que o menino Jesus esteja no coração de cada um de nós.



            Tiago Pacielles
Tiago Pacielles é estudante
Atualmente Mestre Conselheiro do Capítulo Sete Lagoas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Capítulo Sete Lagoas na estrada-1ª região em União: Visita ao Capítulo José Garibaldi

À início de conversa, apenas fomos convidados para uma posse. Reunião pública normal, com representantes de Capítulos, Bethéis e GCEMG. Chegando em Nova Lima, cidade sede do Capítulo José Garibaldi, fomos muito bem acolhidos novamente pelo Ir. Mestre Conselheiro Regional, que nos conduziu da rodoviária de Belo Horizonte ao pacato centro de sua cidade natal. Chegando à Loja Maçônica, fomos novamente acolhidos pela receptividade dos irmãos do local e de outras cidades. Este é o verdadeiro espírito DeMolay. Sem distinção de cargos, ou honrarias; sempre somos bem recebidos onde vamos, mas, em especial, em Nova Lima. A posse transcorreu tranquilamente e, inesperadamente, foi anunciada a entrada da Corte de Chevaliers. Nenhum de nós, da comitiva, havia assistido a uma investidura à maior honraria que um DeMolay pode receber: Chevalier. Transcorrida a cerimônia, o Tio/Ir. Alvaro Azevedo Atual 2ºGMEA, ex-MCN e MCE recebeu esta honraria, que achamos que não condiz com os altos cargos que ele já ocupou. E sim, pelo DeMolay que ele é. Dentro e fora da sala capitular. Agradecemos o convite, e esperamos para o menos tardar uma visita. Boa sorte à nova gestão e muito trabalho! Segue foto da comitiva:

 Comitiva Setelagoana: Ir. Richard, Ir. Tiago Pacielles, Mestre Conselheiro, e Ir. Ivan Trindade

Após a reunião, no bicame; Irms. da Comitiva

Posse da XXXI Gestão Administrativa: Novos Gestores, novas conquistas...

No dia 17/12/11, a tríade eleita para a XXXI Gestão e seus oficiais encontravam-se em festa. Familiares, amigos, primas Filhas de Jó e a Família Maçônica em geral se reuniram para a posse da atual gestão. Também nesta ocasião, com a presença do Tio Luiz Cláudio, Oficial Executivo, e de Gabriel Henrique Fernandes (''Régis''), Mestre Conselheiro Regional, empossou-se o novo Conselho Consultivo. Assumiram a nova tríade do Capítulo os irmãos:

Tiago Pacielles Rodrigues - Mestre Conselheiro
Gabriel Estevão Rabelo - Primeiro Conselheiro
Gabriel Caetano Araújo - Segundo Conselheiro

Acompanhe a nominata completa clicando aqui
Acompanhe o Conselho Consultivo clicando aqui
Foram destaques da gestão passada (XXX), os irmãos: Bruno Henrique de Faria Freire, Gabriel Caetano Araújo, Lucas de Souza Assis e Vinícius Caseiro de Oliveira.

Segue foto da tríade, e mais fotos serão aqui postadas durante a semana:

Da esquerda para a direita: Ir. Gabriel Rabelo, 1º Conselheiro, Tiago Pacielles, Mestre Conselheiro, e Gabriel Araújo 2º Conselheiro

FILANTROPIA, NUNCA É DEMAIS

No último dia da XXX Gestão, no dia 17/12, ocorreu a última filantropia do ano e do Hospitaleiro Moacyr Avellar. Os brinquedos foram arrecadados nas escolas setelagoanas os mesmos foram doados ao lactário. O lactário é uma instituição que doa alimentos não perecíveis em datas comemorativas, como o Natal e o Dia das Crianças, e que doa brinquedos às crianças. Não nos esqueceremos desse lar e continuaremos a ajudá-lo da melhor maneira possível. Segue foto dos brinquedos:

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Obrigado!!!

Caros irmãos e leitores deste blog:

"O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis"
[Fernando Pessoa]

Devo agradecer a oportunidade de moderar esse espaço, desde Março de 2011. A idéia do Blog, foi  feita pelo Grande Capítulo do Estado de Minas Gerais aos capítulos do Supremo Conselho da Ordem DeMolay para o Brasil, um projeto saudável de competição entre os capítulos, conhecido como Capítulo Padrão. O que mais me motivou ao abraçar essa idéia  foi unir os irmãos do meu capítulo para que o blog desse um resultado positivo, focando também a comunicação do nosso capítulo.
Me parece que alcançamos esse resultado. Sem vocês eu não seria nada como moderador. Obrigado Otávio Augusto, que na sua gestão confiou na minha capacidade e me presenteou com essa oportunidade. Foi uma oportunidade e tanta. Assistimos juntos, irmãos de vários outros capítulos prestigiarem o nosso blog, inclusive do outro supremo conselho, o SCODRFB. Isso não tem preço!!! Inclusive colaboraram com nosso blog, enviando campanhas, fotos, e idéias: Juntos somos muito mais fortes!!! Assim como foi feito por membros do #295, que fizeram suas postagens e encaminharam para mim. O resultado só foi bom porque vocês abraçaram a causa...Sozinho é mais difícil meus irmãos...
Ao Ivan Trindade, mestre conselheiro da atual gestão, eu sei que o que está por vir é muito melhor...Falo de um líder que me provou que o amor por uma causa é o suficiente e basta, prova do sucesso da sua gestão, portanto, meu irmão, você será um excelente moderador desse blog, cargo que já é seu, nomeado pelo mestre conselheiro da XXXI Gestão, Thiago Pacieles.Ivan, você acreditou e deu continuidade na idéia que eu propunha ao blog, não apenas isso, editou ele muitas vezes comigo e me substituindo, provando que na união colhemos bons frutos.

Conte comigo, sempre, não tenho palavras pra te agradecer, amigo pra vida toda. Obrigado por acreditar em mim.

Tentei ser o mais imparcial o possível nas nossas postagens, o objetivo era levar aos leitores a reflexão, acredito que os demais autores das postagens também seguiram essa linha de raciocínio.Recomendo aos próximos moderadores que adotem essa prática, ela é saudável, e sem ela não existe credibilidade. A matéria com pequena base de apuração, sem fundamento concreto, é tendenciosa e perigosa e merece uma investigação maior do seu teor, portanto, é recomendável ser imparcial...

A todos que nos acompanharam durante esses meses, muito obrigado, continue acessando nosso blog, porque ele vai continuar "avassalando"!!! Aos que contribuíram com a suas postagens, o blog precisa de vocês. Continuem enviando para o moderador. Particularmente, continuarei a postar e colaborar, porque acredito que "soberanos sejam os nossos ideais Luzes no caminho de virtudes imortais."


Um fraterno abraço a todos e muito obrigado pela visita!!! 


Saulo Junior
Saulo Junior é  Senior DeMolay e Estudante Pré-Universitário
Moderador do Blog do Capítulo  
Presidente da Comissão de Comunicação  da XXX Gestão

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O respeito que os animais merecem...

O respeito que os animais merecem...

Os animais merecem de nós respeito, carinho e cuidado. Muitos homens mantêm uma postura atrasada, cuja cultura é pautada em fundamentos questionáveis, onde a covardia toma conta desses indivíduos.
O tráfico de animais silvestres, o abandono e a falta de cuidados dignos são umas das causas dessa desumanidade, verdadeira falta de compaixão com os animais.


Existem aqueles que preferem os animais presos numa gaiola, privados da liberdade e do convívio com outros da mesma espécie. Muitos, para chegarem a essas verdadeiras prisões, são condicionados ao tráfico de animais silvestres, prática que o Brasil, pela sua biodiversidade de fauna, apresenta em alta escala, sendo exportador inclusive de espécies para o mundo todo... Uma verdadeira tragédia.


Já os animais domésticos, cães, gatos e outros sofrem muitas vezes com o abandono e a falta de cuidados dignos de seus donos. Carinho e atenção são fundamentais. Existem pessoas que não são habilitadas para terem animal de estimação, pois são frias, desleixadas, acabam maltratando os animais. Maus tratos diversos, além de muitas vezes o abandono a própria sorte nas ruas, levando esses animais a passarem fome, humilhação, frio, enfim, muito sofrimento.


Veja essa notícia do Jornal Folha de São Paulo, retirada da internet. - Para acessar a matéria clique na imagem. 



Do ponto de vista jurídico:

A proteção do meio-ambiente e a Lei 9.605/98

A proteção aos direitos dos animais encontra-se principalmente na Lei 9.605/98, conhecida como a Lei de Crimes Ambientais. Os crimes contra a fauna estão previstos nos artigos 29 a 37 da mencionada Lei.
Dentre as condutas punidas encontram-se as práticas de matar, perseguir, caçar, dentre outras, em desfavor de animais da fauna silvestre (art. 29) compreendendo como tais os “nativos”, “em rota migratória” ou “que tenham todo ou parte de seu ciclo de vida ocorrendo dentro dos limites do território brasileiro, ou águas jurisdicionais brasileiras” (art. 29, § 3º).
Também é proibida a exportação de peles e couros de anfíbios e répteis, manejados sem a autorização do órgão competente (art. 30), assim como a prática de maus tratos contra animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos (art. 32).
O art. 33 estabelece punição a quem causa o perecimento de animais da fauna aquática por meio da emissão de efluentes (dejetos como óleos, substâncias tóxicas, etc.) em lagos, açudes, lagoas, baías ou águas jurisdicionais brasileiras.
As práticas abusivas no exercício de pesca são definidas nos artigos 34 a 36 da Lei de Crimes Ambientais.
Por fim, a lei não considera como crime abater animal quando “em estado de necessidade, para saciar a fome” (art. 37, I), “para proteger lavouras, pomares e rebanhos da ação predatória ou destruidora de animais, desde que legal e expressamente autorizado pela autoridade competente” (art. 37, II), “por ser nocivo o animal, desde que assim caracterizado pelo órgão competente” (art. 37, IV).
A Lei de Crimes Ambientais prevê algumas formas de agravantes da pena quando se tratar de espécie ameaçada de extinção, quando o crime for praticado em unidade de conservação, ou mesmo quando for praticado no exercício de caça profissional, etc. A título de esclarecimento, às condutas tidas como crime corresponde-se uma sanção, ou seja, uma pena. Em determinados casos, o legislados opta por “escalonar” condutas similares de acordo com a gravidade ou a maior ou a menor da conduta, atribuindo, por exemplo, pena “X” para quem caçar animais eventualmente, e com aumento de até o triplo para quem o fizer no exercício de caça profissional, como é o caso do art. 29, § 5º. Assim, por entender que o exercício profissional da caça implica que os danos causados pelo agente foram muito maiores, aplica-se ao caso a agravante da pena.

Melhorias e impunidade

Com a entrada em vigor da Lei 9.605/98 observou-se grande avanço na defesa tanto da fauna como da flora, uma vez que determinadas práticas passaram a ser consideradas como criminosas. Se antes tais condutas eram tidas como contravenções penais, punidas com multas ou prisões de até três meses, agora há sanções mais rigorosas, cujas penas, em geral não passam de 01 (um) ano, mas que podem chegar a 03 (três) anos, no caso dos artigos 30 e 33, e até 05 (cinco) anos, como é o caso do art. 35 (pescar utilizando explosivos ou substâncias tóxicas).
Apesar de tal avanço, em razão de penas muitas vezes inexpressivas, o índice de arquivamento dos processos envolvendo crimes ambientais é grande, gerando a sensação de impunidade. No direito brasileiro (art. 109, Código Penal), o Estado tem prazo para propor denúncia contra quaisquer crimes, salvo raras exceções. No caso, quanto menor a pena, menor o prazo para propor a ação.

Mudança de pensamento

Existe um Projeto de Lei, de autoria do Deputado Federal reeleito por São Paulo Ricardo Tripoli, que institui o “Código Federal de Bem-Estar Animal” (ver Projeto de Lei nº 215/2007). Este projeto tem seus objetivos básicos elencados nos três primeiros artigos, estabelecendo normas que garantam o bem-estar animal “nas atividades de controle animal, experimentação animal e produção animal”. Inova ao tratar sobre o tema ‘proteção animal’ vez que menciona a combate a práticas que causem sofrimento físico e mental aos animais, além de frisar bastante a causa do bem-estar dos animais.
Mencionado projeto encontra-se pendente de formação de uma comissão parlamentar, aguardando encaminhamento na Coordenação de Comissões Permanentes. O projeto foi proposto em 15.02.2007.

O que os cidadãos podem (devem?) fazer

Existem muitos meios de proteger os animais e o meio-ambiente como um todo.
O primeiro deles é se conscientizar, bem como fazer um exercício de educação com os novos, transmitindo a eles a noção de que o ambiente pertence a eles, para o futuro e boa vida de quem está chegando, mas não só, é também de quem está por vir, consciência conhecida como “princípio da responsabilidade intergeracional”, isto é, entre gerações.
Outras formas de proteger os animais é noticiar práticas nocivas de que tem conhecimento aos órgãos competentes, como, por exemplo, o IBAMA, o IEF, os conselhos municipais de meio-ambiente. Provocados, tais órgãos tem o dever de zelar pelo patrimônio ambiental. Por se tratar de patrimônio público, assim entendidos a flora e a fauna silvestre, o Ministério Público pode ser provocado a agir, tendo este o dever de promover as investigações apurando as notícias a ele repassadas que possam ser crimes ou causar danos ao patrimônio público.
O próprio cidadão brasileiro pode pedir no judiciário o fim de combater práticas contrárias ao meio-ambiente através da Ação Popular. Esse mecanismo está previsto na própria Constituição de 1988 e prevê no art. 5º, inciso LXXIII:

"Qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural..."

Isto posto, apresentadas genericamente as formas de proteção à fauna brasileira, considerada a nativa, a silvestre e doméstica, esperamos ter contribuído para a conscientização de pelo menos algumas pessoas, o que certamente trará impacto positivo se passado adiante. O tema é vasto e a partir de curiosidade e bastante pesquisa, o leitor descobrirá que o assunto aqui abordado não trata sequer de pequena parte do problema.

Referências bibliográficas:

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil.
Brasília: Senado Federal, 1988.
BRASIL. Decreto-lei 2.848, de 7 de dezembro de 1940. Código Penal. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del2848compilado.htm>. Acesso em 14 dez. 2011.
BRASIL. Lei 9.605 de 12 de fevereiro de 1998. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9605.htm>. Acesso em: 14 dez. 2011.
TRIPOLI, Ricardo. PL 215/2007. Projeto de Lei que dispõe sobre o bem-estar animal. Disponível em: <http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=341067>. Acesso em: 14 dez. 2011.






Vale a pena conhecer:

Projetos:

http://www.clubedosviralatas.org.br/ - Clube dos Vira latas




Esta postagem foi feita em conjunto pelos Irmãos Seniores DeMolay: 




Arnaldo Neto
Arnaldo Neto é estudante de Direito
Past Mestre Conselheiro do Capítulo Sete Lagoas nº 295

Saulo Junior
Saulo Junior é  Estudante Pré-Universitário
     

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Ajudar é a palavra chave

No mais tardar do dia 10/12/11, membros do Capítulo Sete Lagoas estiveram presentes na Vila Vicentina de Sete Lagoas para realizar a entrega dos Produtos de Higiene Pessoal arrecadados no Supermecado Santo Antônio. (Clique aqui e acesse a postagem da arrecadação)

Mais do que nunca, tive a certeza de que a função de um líder é espalhar esperança. Esta tarde que passamos na Vila Vicentina, não percebi carência de alimentos, nem de assistência pessoal. Não sei se pela tarde fria e chuvosa em que se encontrava, ou se pela falta de ânimo dos condôminos do local. Uma coisa é fato: os idosos estão mais tristes. Esta filantropia, famosa no Capítulo Sete Lagoas de arrecadar e entregar já está ultrapassada. Os idosos precisam de mais... Precisam de atenção e carinho... Mais do que isso... PRECISAM SE SENTIR JOVENS DE NOVO!! É mais do que apenas arrecadar, foi o que tentamos fazer: bater uma prosa, falar dos acontecimentos da cidade e do próprio asilo. Eles adoram festas e conversar sobre assuntos de jovens. Uma coisa que qualquer pessoa deveria fazer: saia um dia de sua casa e procure um hospital ou asilo mais próximo! Não faça isto pra ver como é difícil o fim da vida... Em vez disso seja o motivo de um sorriso, ou de pensamentos antes de dormir!


Aprendi que um homem só tem o direito de olhar um outro de cima para baixo para ajudá-lo a levantar-se. Gabriel Garcia Marquez


Seguem fotos destes queridos, que o Pai Celestial dê ânimo e força para eles e todos idosos do mundo:





Ivan Trindade
Hospitaleiro em 2009
Mestre Conselheiro XXX Gestão

Reconhecimento: Resultado de um trabalho bem feito...

No dia 10/12/11; alguns maçons do Oriente Setelagoano foram convidados para uma solenidade no 4ºGAAAE (4º Grupo de Artilharia Antiaérea). Lá passaram por homenagens e saudações militares. Destes, três membros do Conselho Consultivo do Capítulo Sete Lagoas: Tio Leonardo Tinoco Presidente do Conselho Consultivo, Tio Flávio Maciel Consultor de Eventos, Tio Chrispim Fernandes Consultor de Família e Disciplina do Capítulo. Nosso querido irmão André Risali, aluno da EPCAR (Escola Preparatória de Cadetes do Ar) também esteve presente no evento. 


Seguem algumas fotos:

O comandante do 4º GAAE, Denis Carmo, entrega o certificado ao Tio Leonardo Tinoco.

Militares

Tio Flávio Maciel, Irmão André Risali e Tio Leonardo Tinoco

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Companheirismo, Cortesia... Capítulo Sete Lagoas em União: DeMocamp!

O Capítulo Sete Lagoas realizou o DeMocamp no mês de dezembro. Vários irmãos estiveram presentes nestes dois dias (11/12 e 12/12) na qual participaram de atividades que fortaleceram os laços de companheirismo e amizade. No dia 11/12 contamos com a presença do Bethel Estrelas Unidas que trouxe mais alegria para o evento e confraternizamos a união das duas ordens. Houve competição ritualística e prática na qual Tio Leonardo Tinoco promoveu uma atividade bastante interessante sobre o assento de cada cargo nas reuniões. Houve festa de despedida de Thomas e Débora, e aniversário surpresa de Vinicius Caseiro.
A final da II Gincana ocorreu, e surpreendentemente,  a equipe ''Esquilos Berrantes'' comandada pelo Ir. Lucas Rachid passou a então 1ª colocada ''Ô no verão'', que ficou em último. Segue placar e fotos:


Esquilos Berrantes, vencedora da 2ª Edição da Gincana: Irms. da esquerda para a direita: Lucas Rachid, Bruno Faria, Marcelo Monteiro e Marcelus Malaquias


Clique aqui e acesse as fotos do DeMocamp 

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Faça o natal de alguém mais feliz esse ano: Doe Brinquedos!!!

Não existe criança que não brinque, e o quanto é saudável essa prática... Entretanto, nem todas tem condições de terem um brinquedo. Você pode ajudar e fazer um natal mais feliz de alguém. Sozinho ou em um grupo com algumas pessoas, arrecade brinquedos e doe para as crianças que não tem a oportunidade de terem um brinquedo. Você fará mais feliz uma ou muitas crianças, levando alegria nesse fim de ano.


Todos sabemos que o simbolismo do Natal vai muito além do presente. Porém, que façamos do presente um símbolo de doação, solidariedade e fraternidade: características que devem ser lembradas e reforçadas não somente no natal, mas durante todo o ano...