domingo, 24 de junho de 2012

Congregação de Líderes da 1ª Região: União e fortalecimentos dos nossos objetivos

Aconteceu ontem, a Congregação Regional da 1ª região aqui em Sete Lagoas. O projeto conhecido como "Caminho de Minas" é uma ideia da atual administração do Grande Capítulo de Minas Gerais (GCEMG), e faz parte do fortalecimento dos DeMolays do estado.

Clique na imagem e seja direcionado ao espaço do "Caminho de Minas" na página do GCEMG


Estiveram presentes as comitivas de todos os Capítulos da região. 

As autoridades do Grande Capítulo também compareceram: o Mestre Conselheiro Estadual, Johann Colares, o Grande Mestre Estadual, Luiz Eduardo Almeida, o Grande Mestre Estadual Adjunto, Álvaro Azevedo, o Grande Secretário e Past Mestre Conselheiro Nacional, Guilherme Santos e o Oficial executivo da 1ª região, Leonardo Tinoco.

Vários temas foram debatidos dentro da programação. 

O Grande Capítulo falou sobre suas propostas e o trabalho que está sendo feito no estado. Apresentou os avanços já conquistados e as metas da diretoria.

Grande Mestre Estadual Luiz Eduardo, explicando o trabalho realizado pelo GCEMG

O Grande Mestre Estadual Adjunto, Álvaro Azevedo, falando sobre a questão da unificação entre os Supremos Conselhos.

 Mestre Conselheiro Estadual Johann Colares fala sobre liderança.

Os irmãos Domingos e Lucas falam sobre a proposta do Capítulo Fênix do Oriente, que será a sede do Congresso Regional da 1ª região em Setembro - 2012


O evento é uma excelente oportunidade de unir nossa região e fortalecer os trabalhos que são desenvolvidos dentro dos nossos capítulos. A interação entre os irmãos é muito produtiva, e o projeto permite que a troca de experiências entre as administrações dos capítulos seja feita, fortalecendo assim a ordem.

Peço aos irmãos que tenham mais fotos, enviar para cap7lagoas@gmail.com

Talvez seja um ponto fundamental da nossa ordem: criar laços, fortes e sólidos, através das nossas virtudes.


Muito obrigado a todos que vieram a Sete Lagoas, e que nossa região continue cada vez mais unida. Aos tios do nosso Conselho Consultivo, e aos tios dos outros conselhos que estiveram presente.

E o nosso obrigado especial ao Clube de Mães do Capítulo Sete Lagoas, que preparou um almoço inesquecível.

Afinal, DeMolay chegou comida acabou, e elas mais do que ninguém sabem muito bem disso!!!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Programação Oficial - Congregação Regional

Será realizada no dia 23/06/12, na cidade de Sete Lagoas a Congregação Regional dos Capítulos da 1ª Região do Estado de Minas Gerais. A Programação Oficial está situada abaixo. Mais informações se encontram na Aba Congregação Regional deste blog.

Horário
Evento
07:30/08:30
Credenciamento/Café

08:30/09:00


Abertura
09:00/12:00
Espaço GCEMG
12:00/13:00
Almoço
13:00/14:30
Espaço Capítulo Sete Lagoas Dinâmica
14:30/15:00
Café
15:00/16:30
Workshop
16:30/17:00
Encerramento


Irmãos, 


Nosso capítulo espera fazer deste encontro, uma oportunidade dos líderes da região debaterem temas relacionados a administração capitular, além disso reforçar a atual união da nossa região, que cada vez encontra-se mais forte.






Boa Congregação!!!


Saulo Geraldo Santana Moura Junior
Consultor de Comunicação do Capítulo Sete Lagoas Nº 295 
2012

terça-feira, 19 de junho de 2012

Pela amizade...

Família: conjunto de pessoa da mesma raiz ancestral.

Irmão: filho do mesmo pai ou mãe; título dado a pessoa da mesma irmandade, confraria ou comunidade religiosa.

Amigo: aquele que temos uma afeição recíproca, que inspira simpatia e confiança.

Temos família (conhecida ou desconhecida, de sangue ou não), alguns temos irmãos, mas dentro desse universo poucos são os amigos comparados ao número de familiares e irmãos segundo a definição acima, por menor e incompleta que ainda seja essa definição. Nem todos somos amigos da nossa família ou dos nosso irmãos. Nem sempre damos valor aquilo que os outros nos dão em termos emocionais e afetivos. Nem sempre somos amigos de quem é nosso amigo, e nem sempre temos a amizade de quem somos amigos.

Cada ser humano é um espírito preso dentro de uma prisão corpórea que em seu estado consciente tende a procurar uma satisfação para o estado de estar vivo. Mas os sentimentos, sensações, fantasias, pensamentos, são coisas privadas e a cada um de nós pertence individualmente a experiência. Isso cria nossa estrutura corpórea, emocional e mental, e pelas vibração energéticas que atraímos ou afastamos as pessoas de nossas vidas, criando assim nossa família e irmãos, dentre esses criando alguns amigos. Como diria Aldous Huxley: "Da família à nação, cada grupo humano é uma sociedade de universos insulares", eu diria não cada grupo, mas nossa prisão corpórea é nosso próprio universo insular.

Na augusta Ordem DeMolay, da qual poucos procuram seu significado, temos uma cerimônia denominada Cerimônia das Luzes, uma das mais belas cerimônias. Toda toda redor do Altar, a cerimônia nos lembra sobre o momento da nossa iniciação aonde somos consagrados a cada uma das virtudes antes de nascer como DeMolays, e mais importante do que isso, mostra o perigo de apagar as virtudes dentro de nós.

Altar dos juramentos


Nosso universo corpóreo não é somente composto de matéria orgânica, mas também de emoção e mente, que emitem a todo o tempo vibrações de alto ou baixo nível. Quem nunca se sentiu mal ou bem ao entrar num lugar ou a apertar a mão de uma pessoa? Quantas vezes nos deparamos com pessoas se afastando da Ordem DeMolay após sua iniciação, ou após atitudes de más conduta na vida profana? Ao sermos iniciados somos marcados (literalmente) com marcas que nos dão acesso a essa entidade de energia que podemos chamar de Egrégora DeMolay. E a partir do momento em que as atitudes emocionais e mentais entram em conflito de vibração dessa egrégora, cedo ou tarde se afastam. Pois as energias tornam-se incompatíveis.
Esses que carregam as mesmas marcas que nós da iniciação chamamos de irmãos. E dentro dessa egrégora vão se aproximando aqueles cujo universos se assemelham em interesse, seja qual for. Ganhar cargos, querer ser dono do Capítulo, praticar a filantropia, estudar a ritualística... assim vão se simpatizando os universos de vibrações semelhantes e se formando as amizades com boas ou más intenções. Apesar da ritualística ser praticada em conjunto com 23 oficiais, continuamos isolados e isso nada pode mudar. As mudanças de atitudes que conduzem a maiores vibrações só nós mesmos podemos fazer. Como muito bem disse o Huxley, somos universos insulares.

Apesar desse pensamento, não devemos tirar uma conclusão de egoismo. Muito pelo contrário de egoísmo, essa visão nos enfatiza a importância de nos preocuparmos mais com todos os humanos, pois todos somos irmãos e da mesma família, por mais que não pareça termos um ancestral em comum. A partir do momento em que buscamos o centro do nosso universo, ao redor de que nossa vida gira, e conseguimos uma amizade e uma paz com nós mesmos, de que adianta se manter calado e isolado dentro do próprio mundo?

Filantropia em asilo
Enxergar que a vida tem valor e que nós temos valor de diante da vida, enfatiza nossa capacidade de tratarmos o outro melhor, de oferecer uma mão ajuda a um estranho, sem nunca esperar nada em troca. Conhecer nosso universo é se aproximar daqueles que possuem um universo semelhante e criar uma irmandade e uma amizade. Devemos considerar muitos como amigos, ainda que não seja recíproco. A partir do momento em que enxergarmos algo de especial no nosso universo, percebemos que o outro também tem esse especial, mesmo que ele mesmo não perceba. A amizade é algo além do plano material, portanto não tem raça, cor ou idade. Oferecer uma mão caridosa para além do seu universo é um ato de amizade, mesmo que desconheçamos a pessoa.

A egrégora DeMolay é fraterna e misericordiosa a quem a acessa, mas também é igualmente rigorosa. Nos dá oportunidades de fazermos o bem e os meios para que tudo aconteça, mas também nos ensina dolorosas lições quando deixamos de ser compatíveis com sua vibração.

Na cerimônia das luzes vemos o resultado do que é um DeMolay sem virtudes, é o Templo dos homens na escuridão.

Então o DeMolay que apresenta a cerimônia, no meio da escuridão, ascende o centro do altar, a virtude do Companheirismo, e nos relembra: "E no entanto, cada um de vocês, sendo um DeMolay, traz dentro de seu coração uma chama, um facho para lhe guiar através da escuridão. Se puder fazer esta luz brilhar sobre outra pessoa, se puder penetrar nas profundezas mais recônditas de sua alma e acender a chama que ali está, então aí reside o objetivo da Ordem DeMolay, ali está sua finalidade de viver."

O ascender dessa virtude no meio da escuridão é representar também a chama da amizade dentro de nós se expandido para fora do nosso universo.
Frank Sherman Land,
fundador da Ordem DeMolay
   Superar o individualismo e unir-se com os universo dos outros, é a amizade.       Se não unir, pelo menos oferecer a união. Assim como relembra a quarta virtude acesa no meio da escuridão. Não sermos amigos dos nosso irmãos, mas de todos que pudermos. "Se puder fazer esta luz brilhar sobre outra pessoa, se puder penetrar nas profundezas mais recônditas de sua alma e acender a chama que ali está, então aí reside o objetivo da Ordem DeMolay". Pois "irmão" pode ser um título a pessoas da mesma fraternidade, mas "amigo", é um sentimento, e é sobre a amizade que estamos falando quando é dito o objetivo da Ordem DeMolay.

   Amigo é aquele que fala a verdade, que quer o seu bem, mesmo que isso doa muito. Temos muitos exemplos de amigos no mundo, todos eles viveram suas vidas de maneira significativa e importante para todos nós. Pois quem é amigo salva a vida do próximo só por tentar unir esses universos separados por nossa prisão corpórea, e só pela Lei do Amor tal união torna-se possível. "Aquele que salva uma vida, salva todo o mundo", como diz o Talmud.

Provável verdadeira fisionomia de Buda
A primeira das virtudes DeMolay nos impõe a importância do amor, aos nossos pais. Há uma semelhança a tal ensinamento discutido no passado pelo Mestre Buda quando este relembrou aos homens que nosso primeiro mestre é nossa mãe, pois ela nos dá o primeiro alimento da sobrevivência, e se aos nossos pais não respeitamos, a ninguém mais conseguiremos respeito. E Buda, assim como Jesus e quase todos os mártires, foi compreendido por poucos, acusado por muitos, mas que dedicou sua vida ao sacrificou pela amizade aos homens, trazendo sabedoria e simplicidade à vida.

Exemplo de perfeita amizade é a mitologia grega de Damon e Pythias, que personificam a quarta virtude. Pythias, condenado injustamente a morte só deseja ver pela ultima vez sua família, o que lhe foi negado. Então Damon que presenciava o julgamento ofereceu sua vida como prova de que Pythias voltaria para o local onde seria sua morte após se despedir de sua família. Chegado ao limite da espera, Pythias reaparece provando a Damon o valor da confiança nele depositada. É então que o Rei que condenava Pythias percebe o erro que cometeria se apagasse injustamente a chama da mais nobre virtude de um homem que é a amizade e o companheirismo.

Em memória e pela amizade a nós daqueles que isolados em seu universo únicos conseguiram o expandir e ser amigos do mundo e mudar-lo, sem nem que nem tenhamos consciência. Krishnamurti, Budha, Ieshua, Hughes de Payns, Jacques DeMolay, Crowley, Madre Teresa, São Francisco, Ramakrishna, Jacob Boehme, Saint Martin, Gandhi, Pitágoras, Krishna, Frank Sherman Land, Louis Gordon Lawer... Que sejamos amigos e tenhamos amigos como eles tiveram, que seu exemplos e martírio pela amizade nos ajudem a combater a própria ignorância.
Meus amigos são todos assim: metade loucura, outra metade santidade.
Escolho-os não pela pele, mas pela pupila, que tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Louco que senta e espera a chegada da lua cheia.
Quero-os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela cara lavada e pela alma exposta.
Não quero só ombro ou o colo, quero também ser sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Pena, não tenho nem de mim mesmo, e risada, só ofereço ao acaso.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos, nem chatos.
Quero-os metade infância e a outra metade velhice.
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto, e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou, pois vendo-os loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a normalidade é uma ilusão imbecil e estéril.
(Oscar Wilde)
Nem louco, nem são. Nem criança, nem velho. Maluco beleza.

Irmão Walt Disney

Petrópolis - RJ
14-Jul-2011, sol em Câncer, lua em Capricórnio.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Sherman Land, Frank


"Se trabalharmos sobre o mármore, um dia ele se acabará. Se trabalharmos sobre o metal, um dia o tempo o consumirá. Se erguermos templos, um dia se tornarão pó. Mas se trabalharmos sobre almas jovens e imortais, se nós a imbuirmos com os princípios do justo temor ao criador e amor à humanidade, nós gravaremos sobre essas almas algo que brilhará eternamente. Daqui a cem anos pouco importará o quanto tenhamos acumulado no banco, que tipo de casa, palacete ou carro possuímos. Mas o mundo poderá ser diferente, talvez porque fomos importantes na vida dos jovens." - Frank Sherman Land.

Quando jovem, Frank Sherman Land, ainda não conhecia o Tao The KingLao Tse ou o I Ching, pouco difundidos no ocidente na época, porém é um exemplo de homem que desde criança seguiu o caminho que não pode ser melhor identificado do que com o Hexagrama 8 do I Ching, que significa Solidariedade, nem melhor descrito do que com o verso 49 do Tao The King. Como vamos ver durante toda a biografia desse homem e da história da Ordem DeMolay, Frank S. Land foi uma pessoa que não se limitou em transmitir, durante toda sua vida, a sabedoria e a bondade.

Hexagrama da União,
da Solidariedade.
"O sábio não tem coração estreito, inclui no seu coração o coração dos outros. Ele é bom com os bons e bom com os não-bons, porque seu íntimo ser só lhe permite ser honesto com todos.
Ele vive retirado, mas sua vida está aberta de para em par a todos os homens.
Os olhos e os ouvidos dos homens se voltam para ele, estupefatos.
Ele vê seus filhos em todos.
"


Lao Tse, sec IV a.C., antiga China.

No primeiro passo vimos o que levou Louis a procurar ajuda da maçonaria, e aqui vamos acompanhar os aspectos da infância de Frank S. Land até sua grande inspiração, que foi o encontro com esse garoto. Os fundamentos de sua vida que o levou a estruturar toda ideologia DeMolay e ser reconhecido como Pai ("Dad" em inglês, como era chamado) por milhares de jovens.

Frank, o Pequeno Ministro

Elizabeth Lottie em 1889 era uma garota de 15 anos dentro de uma família autoritária, e se apaixonara por um rapaz mais velho chamado William Sherman Land. Apesar da oposição de sua família, se casaram. No ano seguinte, no dia 21 de junho de 1890 em Kansas City no estado de Missouri, nascia seu primeiro filho, batizado com o nome Frank Sherman Land.

Já aos nove anos Frank S. Land possuía o dom da oratória, liderança que usava para incentivar seus amigos, tanto mais velhos como mais novos. Nessa idade pediu ajuda a sua mãe para iniciar uma "Escola de Domingo" que reunisse seus amigos nas tardes de domingo para que pudessem aprender sobre a Bíblia. Elizabeth reformou o porão de sua casa para atender ao desejo de Frank. Um ano depois a fama de Frank já havia se espalhado e ele era conhecido como o Pequeno Ministro. Não só seus amigos frequentavam o porão de sua casa, mas também estavam sendo acompanhadas por suas mães, que o escutavam atentamente. Nessa época a família Land morava em St. Louis no estado de Missouri.

Uma mãe expôs a Elizabeth toda a curiosidade de todas as outras mães presentes: como tudo isso havia começado? A resposta de Elizabeth foi: "Ele constantemente lê a Bíblia. Ele já a leu toda, possivelmente mais de uma vez. Ele pode citar capítulos de memória. Eu me pergunto sobre Frank, ele é muito interessado no que os outros meninos fazem. Ele brinca com os outros garotos, mas existe uma profunda parte espiritual nele que eu não consigo explicar."

Desde cedo Frank demonstrou seu espirito cuidadoso e companheiro, cuidando dos seus amigos e os instruindo através de histórias bíblicas, sobre o amor filial e sobre o patriotismo. Num de seus sermões no domingo a tarde, Frank compartilharia o ensinamento que em alguns anos se tornou a virtude central da Ordem DeMolay: "Amigos são muito importantes! Nós devemos ter amigos. Nós devemos partilhar com eles. Ajudar uns aos outros. Eu vou lhes contar uma história do Antigo Testamento sobre dois amigos, Davi e Jônatas". E assim começou seu sermão com tom profético, que aos seus 10 anos já implantava idéias de virtudes e cidadania a todos que os escutavam.

Dos 12 aos 21 anos

Assim como toda família, a dos Land também tinham problemas. Os desentendimentos e dificuldades cresceram ao nível de conflitos pessoais e a única solução foi o divorcio. William ficou na cidade de St. Loius e Elizabeth, que na época tinha Frank com 12 anos e a caçula Sissy com 7, voltou para sua cidade natal Kansas City para morar com sua mãe. Foi uma época perturbada para Frank, pois ele perdera sua figura masculina em uma importante parte do seu desenvolvimento pessoal, o que transformou o Pequeno Ministro em alguém recolhido e tímido, a ponto de dar a volta no quarteirão para evitar encontrar com as garotas de sua classe.

Nesse tempo de timidez de sua adolescência, Frank preenchia seu tempo com leituras que o fez conhecer e passar a aceitar a responsabilidade individual que cada ser humano possui, aprendeu o dever do jovem crescer e se tornar um "herói" honesto em meio a sociedade, e um de seus sonhos foi de se tornar um bombeiro. Seus autores favoritos eram Horatio Alger e G. A. Henty.

Em 1907 Frank, sua mãe e avô montaram um restaurante. As mulheres cozinhariam e Frank seria o administrador. No ano seguinte Frank entrou no Kansas City Art Institute (Instituto de Arte) por seu interesse na arte e na pintura, e nesse instituto expandiu seu conhecimento artístico adquirindo amor e apreciação por todas as formas de artes. E esse conhecimento cultural adquirido na juventude foi o que lhe garantiu um grande conhecimento e destaque dentro os ritos da Maçonaria.

Exemplo de brasão heráldico
templário.
Frank admirava secretamente Nell, uma menina do instituto. E certa vez Nell foi a Frank perguntar o que ele estava desenhando, e sua resposta foi: "Estou pintando um Escudo da Cavalaria", e explicou "Eu sempre fui interessado nas Cruzadas e nos tempos da história em que os cavaleiros lutavam em batalhas e resgatavam belas damas do perigo. Esse emblema que estou desenhando é do século quatorze. Foi nessa época que espadas foram sobrepostas por escudos. Era a época de ouro da Heráldica. Eu acrescentei um elmo também. Você sabia que os elmos só eram usados por cavaleiros, e só podiam ser usados nos brasões  das famílias de cavalaria? Você se interessa por isso?"

Assim começou seu diálogo com Nell, e uma semana depois Frank tomou coragem para convidá-la para tomar sorvete e conversar sobre escudos, espadas e a época da cavalaria. Mas nesse encontro, Frank nunca mencionou quaisquer desses assuntos, simplesmente perguntou a Nell quem era ela, e pedindo para ela falar sobre ela mesma. Três anos mais nova que Frank, descendente polonês, nascera em 5 de fevereiro de 1893 em Kansas City, batizada como Nell Madeline Swiezewski. Não demorou muito para os dois se sentirem bem juntos e iniciarem o romance.

Dessa maneira a família Land ia aumentando, pois a mãe de Frank, Elizabeth se casou com um rapaz um ano mais velho que ela em 1909. Dando a Frank uma nova irmã, Elizabeth Irene, que Frank chamava de "Princesa Irene", e que foi a grande inspiração materna que ele precisou para futuramente colocar o Amor Filial como a primeira das virtudes DeMolay por observar o amor de sua mãe com sua irmã mais nova.

Tomando conta do restaurante, de sua própria educação, e de Nell, Frank desenvolveu ainda mais seu senso de liderança e organização. No dia 21 de junho de 1911 ao chegar na maioridade, Frank recebeu o presente mais importante da sua vida de sua avó, através de algumas palavras e um envelope: "Frank, você agora tem 21 anos. Eu estou orgulhosa de você e do que você fez. Seu avô era Maçom. Eu ficaria feliz se você se unisse a Fraternidade que ele tanto amou. Em sua memória, e como um presente meu, você achará nesse envelope o dinheiro necessário para apresentar uma petição para ingresso na Maçonaria. Faça como seu coração ordenar, mas me agradaria muito ver você fazendo isso."

Encontro com Louis Gordon Lower

Sua petição foi aceita na Ivanhoe Lodge 446 (clique aqui para ver a Loja no Google Street View) e sua iniciação ao Grau de Aprendiz aconteceu no dia 25 de maio de 1912. Alcançando o Grau de Companheiro em 17 de junho do mesmo ano, e alguns dias depois já tinha autorização para ser exaltado ao Grau de Mestre Maçom, cerimônia ocorrida no dia 29 do mesmo mês.


Uma nova porta foi aberta para Frank S. Land, que ao iniciar na maçonaria percebeu que havia encontrado algo a mais, algo que sempre procurara. A Maçonaria proveu meio que ele pôde expressar seu amor aos seus novos irmãos, sua compaixão aqueles que se encontravam em dificuldade, e sua vontade de ajudar seus companheiros, tudo através das lições aprendidas nos três graus simbólicos da maçonaria. Dessa maneira sentiu vontade de entrar em todos os grupos e ritos que tivesse acesso para absorver seus ensinamentos e filosofias. Começou a cavalgar os graus do Rito de YorkRito Escocês Antigo e Aceito, se tornando Grau 32 no Kansas City Scottish Rite, e participou do Ararat Temple se iniciando no Ancient Arabic Order of the Nobles of the Mystic Shrine, dentro de alguns anos alcançando todos os graus e recebendo diversos cargos dentro dos ritos. É importante relembrar que Frank sempre esteve em destaque apesar de sua jovem idade dentro da Maçonaria devido aos estudos que fez durante sua juventude e pelo seu interesse em ajudar o próximo.

Se casou com Nell no dia 15 de setembro de 1913. Em 1914 Frank recebeu uma nova oportunidade e precisou da ajuda de Nell para tomar essa decisão, que era de vender o restaurante e dedicar-se em tempo integral a se tornar administrador e secretário em um novo projeto no Templo do R.E.A.A. Ao invés de insegurança com o futuro, Nell mais uma vez contribuiu para que as coisas na vida de Frank tomassem um novo rumo: "Frank, aceite essa oferta. Assuma esse trabalho. Você nunca será feliz enquanto não achar meios de servir as pessoas. Acredito que isso abrirá um novo mundo para você. É o limite da sua vida de trabalho. Eu sinto que disso virá uma grandeza para você e para os outros". E como uma profecia, entre 1914 e 1919, Frank trabalhou em projetos que o incentivaria a criar a Ordem DeMolay, só precisando de mais um empurrão, que viria a seguir.

Em janeiro de 1919 Frank recebeu uma ligação de San Freet, Primeiro Vigilante de sua Loja Mãe, Ivanhoe 446, com um pedido: "Um de nossos membros, Elmer E. Lower, que foi iniciado ao grau de Companheiro, morreu ano passado, acredito que no dia 3 de janeiro. Ele deixou sua esposa e quatro filhos que agora estão entre seis e 17 anos. A mãe tem feito um grande trabalho para sustentar a família. Ela achou um emprego como inspetora no hospital, mas isso não é suficiente para sustentar a família.Você conseguiria achar um emprego de meio expediente para o garoto, Louis? Ele é um dos melhores jovens que eu já conheci."

Assim aconteceu a fundação da vida de Frank. Sua dedicação a vida religiosa o fez ser uma pessoa carismática e profética desde criança, estudando simbolismo bíblico, conhecendo a cultura medieval, e adentrando nos estudos e ensinamentos dos diversos graus da maçonaria que concretizaram e expandiram ainda mais todo seu conhecimento e interesse. Junto ao seu amor a Deus, a pátria, ao próximo, e o ao amor materno, dentro de alguns meses iniciou um projeto para mudar para sempre a vida de Louis e de mais oito de seus amigos.

É dever de um DeMolay conhecer o Pai e o objetivo de sua Ordem. Aqui conhecemos o caráter e um pouco da jornada desse homem. Conhecer nos faz pensar e refletir sobre nosso propósitos, valores e verdadeiros objetivos. No próximo passo veremos o nascimento do nosso tesouro, o Ritual dos Trabalhos Secretos.

Em homenagem a Frank Sherman Land, o homem que com sua bondade e sabedoria mudou, muda e continuará mudando, a vida de milhares de jovens. O Pai da Ordem DeMolay que hoje completa 100 anos de maçonaria.


N.N.D.N.N.

Leonardo Cestari Lacerda
Petrópolis - RJ
25 de maio de 2012, asc. em leão, sol em gêmeos, lua em câncer

domingo, 17 de junho de 2012

Um primeiro passo na história da Ordem DeMolay

É difícil para nós percebermos ou compreendermos o porque de algumas coisas acontecerem. A verdade é que não podemos compreender em sua totalidade (pelo menos não enquanto na Terra) a realidade do sofrimento dos homens, a realidade de uma vida que nos é tirada prematuramente. Podemos ter Fé em que existe algo maior por trás de um acontecimento de dor e desastre. Mas parece que não termos controle, e não adianta o quanto tentemos, nos é impossível entender e compreender o sofrimento e sua causa e significado em totalidade.

A única verdade absoluta que podemos tirar do sofrimento é que ele nos ensina grandes lições. São os momento de dor, e não de alegria, que nos deixam realmente fortes se conseguimos tirar aprendizado deles. Quando deixamos nosso egoismo de não aceitar o que aconteceu de lado e conseguimos aprender com a realidade que passamos, o que parece um mal sem explicação torna-se uma grande riqueza e força. Essa é nossa primeira instrução quando vamos estudar a história da Ordem DeMolay, pois é com a morte de um pai de família, deixando sua esposa e quatro filhos, que começa nossa história em 1918 da era Cristã, quando o sonho de um homem se junta com a esperança de um menino.

Em 3 de janeiro de 1918 morria Elmer E. Lower. Pai dedicado a família, iniciado na maçonaria alcançando o grau de Companheiro, esse homem, assim como muitos na cultura americana, tinha o esporte de sair pelo seu país para caçar. Em uma dessas caças Elmer escorregou por um desfiladeiro e machucou uma de suas pernas, a mesma perna que machucou quando era um garoto e que lhe causou problemas durante toda sua vida. Foi internado no hospital com um quadro de infecção que os médicos não conseguiram interromper. Vindo a falecer algum tempo depois.

Louis Gordon Lower
O filho mais velho de Elmer nasceu em 2 de fevereiro de 1902, seu nome era Louis, um ano após a morte do seu pai ele precisou procurar um emprego para ajudar nas despesas da família. Sua mãe trabalhava num hospital e se esforçava para criar os filhos e manter a família unida. Louis mesmo com dificuldade financeira e o rompimento da relação física com seu pai, não deixava de se empenhar para ajudar em tudo que lhe fosse possível em casa. Aos 17 anos já era um rapaz com grande espírito de honestidade e liderança, que apesar das dificuldades não pensava em deixar os estudos de lado. Foi essa determinação que fez o Primeiro Vigilante da Loja Ivanhoe, San Freet, auxiliasse Louis a procurar um emprego para ajudar sua família.

San Freet faria então uma ligação ao homem chamado Frank Sherman Land. Do encontro entre Louis e Frank muita coisa aconteceu. E então percebemos como acontecimentos distintos se tornaram o que hoje é a Ordem DeMolay e veremos como as Engrenagens do Tempo giram, guiando as pessoas que estão dispostas a seguir seus objetivos. 

9 é o número da Fundação, onde as coisas acontecem antes de se tornarem visíveis. É o primeiro dos veis a ser levantado quando queremos entender a origem, o sentido e o propósito das coisas. Aqui vimos como foi a Fundação para que Louis fosse preparado e as lições que ele aprendeu para que estivesse apto a encontrar Frank Sherman Land, de quem falaremos no próximo post.

"Coincidência e a maneira que Deus encontrou para permanecer no anonimato."
Einstein.


n.n.D.n.n.

Leonardo Cestari Lacerda
Petrópolis - RJ
28 de dezembro de 2011, ascend. em Peixes, sol em Capricórnio, Lua em Aquário.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Desenvolvimento ambiental e cidadania: parceria com a ONG-ADESA e o exercício destas faculdades.

Existem várias formas de exercer o patriotismo, a sétima vela da nossa Ordem DeMolay.

A cidadania é uma delas...

O Capítulo Sete Lagoas Nº 295, em parceria com a ONG-ADESA, sempre disposto a colaborar com seus plantios e demais eventos, foi convidado a participar de um evento denominado "Túnel dos Sentidos", saiba mais clicando aqui. O evento faz parte da Semana de Meio Ambiente da Brennand Cimentos, fábrica localizada em Sete Lagoas.

Os funcionários foram vendados, imaginem vocês...Conduzidos ao túnel dos sentidos, eles teriam contato com sons do meio ambiente, água, arbustos, e sentidos de tato, olfato e paladar.

Em dois dias de evento, realizados na Brennand, aprendemos muito, nos divertimos e podemos colaborar para a conscientização dos funcionários da unidade fabril setelagoana.

Seguem as fotos e vídeo:

Funcionária da Brennand: Irmãos Ivan Trindade e Diego Camarão na mesa do paladar.

A simulação dos sentidos em uma mata de arbustos, na tenda da ADESA.

 Mais uma funcionária da Brennand Cimentos na área dos arbustos...

Funcionário da Brennand Cimentos na mesa do paladar: gosto não muito bom?!rsrsrs

 Parada Ecológica: 
SEMABRE - Semana de Meio Ambiente da Brennand Cimentos

"Que a economia verde se espalhe pelo mundo e para todos."
II SEMABRE - Semana de Meio Ambiente da Brennand Cimentos


video
Assista o vídeo que mostra a atividade realizada.

Participar de um projeto desses é muito motivador. Agradeço em especial a toda a equipe da ADESA, muito atentos conosco e sempre fantásticos. Somos gratos e acredito que não somente eu, mas todos os DeMolays temos orgulho da parceria e do contato com vocês. Estamos a disposição!!!

Uma entidade séria, comprometida com o desenvolvimento socio-ambiental é uma janela de esperança, em um mundo que tanto maltrata seu meio ambiente.

Como DeMolays, aproveitamos a oportunidade de praticar a cidadania, que é sem dúvida uma ligação com o patriotismo que tanto veneramos.

Saulo Junior
Saulo Junior é Senior DeMolay e estudante Pré-Universitário
Consultor de Comunicação do Capítulo Sete Lagoas - 2012

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Estudantes já podem consultar 30 mil vagas do Sisu para o 2° semestre de 2012

Matéria extraída integralmente da Revista Época Online
Clique na imagem e acesse a matéria no site



Sistema seleciona alunos com base na nota do Enem. Inscrições começam na próxima segunda-feira (18)

Os estudantes que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já podem consultar as 30.548 vagas em universidades públicas disponíveis por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o segundo semestre de 2012. As inscrições serão feitas na próxima semana, entre segunda-feira (18) e sexta-feira (22).

Ao todo, 56 instituições de ensino superior participam desta edição do Sisu. O sistema foi criado pelo Ministério da Educação (MEC) para unificar a oferta de vagas em universidades públicas, que são disputadas a partir do Enem.

Ao acessar o sistema, o candidato pode escolher duas opções de curso, indicando a sua prioridade. Ao longo do período de inscrições, o aluno pode visualizar a nota de corte preliminar de cada curso e a sua classificação parcial. O participante pode alterar as opções de curso escolhidas previamente se achar que tem mais chances de ser aprovado em outra graduação ou instituição. Cada alteração invalida a inscrição feita anteriormente.

Para participar, é preciso ter feito o Enem 2011, com nota diferente de zero na redação.
Há instituições participantes do Sisu que separam parte de suas vagas para as políticas afirmativas (cotas para afrodescendentes, indígenas, egressos de escola pública, entre outras). Em alguns cursos, pode haver duas modalidades: ampla concorrência e ações afirmativas. O candidato deverá, no momento da inscrição, optar por uma delas, de acordo com seu perfil.  

O resultado final será divulgado no dia 25 de junho e os alunos selecionados deverão fazer a matrículas nas instituições de ensino entre 29 de junho e 2 de julho.

Está prevista ainda uma segunda chamada para o dia 6 de julho. Quem não for convocado em nenhuma das duas chamadas poderá participar de uma lista de espera que será usada pelas universidades em caso de sobra de vagas.

O cronograma completo e a consulta das vagas disponíveis podem ser conferidos no site do Sisu

Com informações:

Revista Época Online:
REDAÇÃO ÉPOCA COM AGÊNCIA BRASIL

domingo, 10 de junho de 2012

Manifestação popular inteligente dá resultados...

Domingo Sangrento, MPLA (Movimento Popular pela Libertação da Angola), Marcha da Família com Deus pela Liberdade, Diretas Já, Dias de Fúria. Esses e outros movimentos são famosos por terem sido arquitetados pela ampla participação popular. Desde o chamado ''Ensaio da Revolução Russa'' em 1905, com o Domingo Sangrento; até fatos recentes como a Diretas Já e os Dias de Fúria no Egito; os movimentos populares têm tomado conta do cenário contemporâneo. As expressões de opiniões mostram-se sadias se organizadas e com ações pacíficas perante a sociedade civil. A Internet e o advento da Globalização são preponderantes para sucesso de manifestos e revoltas populares.

A Internet é um importante meio de comunicação na atualidade. No passado, objetivava apenas encurtar laços de distância ou a realização de trabalhos didáticos. Hoje é muito mais que isso. A ação da Internet, além de organizar melhor os manifestos através das Redes Sociais, influencia no conhecimento da população sobre diversos assuntos e é formadora de opinião. Regimes Ditatoriais, políticos polêmicos e leis favorecidas se espalham rapidamente pela rede e contrariam a população da mesma maneira. Autoritarismo, Repressão, Militarismo e Populismo ficaram no passado com o Estado Novo e o Regime Militar que perdurou por mais de 20 anos no Brasil. No mundo inteiro, assim como em território brasileiro, não há mais espaço para regimes desumanos e cruéis e que valorizam a opressão da arte e da opinião pública. A Internet é um inteligente meio de liberdade de expressão e simboliza o poder de informação da população e início de atitudes que podem mudar o cotidiano de um lugar ou nação.

Em Sete Lagoas, o exemplo mais recente disso, foi o antes citado em postagens do blog, relativo a aprovação de uma lei que viabilizava a construção de um condomínio de luxo em uma área verde da cidade.
Toda manifestação se não haver adesão da população não tem a eficácia pretendida. No entanto, não foi o caso do fato ocorrido no dia 06/06/12 em Sete Lagoas. Organizado pelo Facebook, a manifestação á Favor da APA Santa Helena foi um sucesso total e contou com adesão da população Setelagoana. Centenas de pessoas estiveram presentes, e fora anunciado o Veto do projeto, sancionado pelo Prefeito Municipal Maroca. Estiveram presentes vários DeMolays, que cumpriram com seu papel de cidadania e de defesa de nossa cidade. Seguem fotos:

 Manifestantes

 Irmãos Saulo, Gabriel Rabelo e Lucas Rachid

Audiência Pública relativa á regulamentação da APA Santa Helena


Ivan Trindade
É Estudante
Past Mestre Conselheiro
Atual Moderador do Blog
Comunicação 2012/1

quinta-feira, 7 de junho de 2012

A Ordem DeMolay e a Tragédia do 11/09 nos EUA

Contribuiu para a postagem:


completamente retirado de: Blog Memórias da Ordem


Ás vezes quando penso sobre os objetivos do “Memória da Ordem” noto que a história de nossa Ordem como um todo está repleta de passagens e episódios nos quais muitas vezes nem imaginamos mas a Ordem se fez presente. Ao redor do mundo e em todos os países que tem Capítulos DeMolay com certeza podemos ter exemplos dos mais dignos e grandiosos Irmãos e Tios portadores de nossas virtudes. Pensando nisso,hoje decidi fazer uma postagem sobre um episódio ocorrido nos EUA quando da ocorrência dos trágicos ataques às Torres Gêmeas no dia 11 de setembro de 2001 e como a Ordem DeMolay deu sua parcela de contribuição e representação na ajuda aos feridos bem como de que forma perdemos Irmãos nesse dia sombrio.


Pois bem, vamos lá...Esse ano o maior ataque terrorista da história completará 10 anos. Com certeza todos que prestaram atenção a amplitude do ocorrido devem lembrar exatamente onde estavam e o que faziam naquele dia. Eu lembro que tinha a época 13 anos e havia acabado de chegar da escola. Liguei a TV como de costume e sentei na cama de meus pais enquanto esperava o almoço para voltar a aula a tarde. Parei para ver aquele noticiário que não saia do ar, nem tinha intervalo, nem nada, ainda sem entender direito. Não estava passando desenho e eu sem entender o mínimo ainda. Em um assisti aquilo que aparentava ser um pequeno avião colidir com a segunda torre do World Trade Center, com transmissão “AO VIVO” na TV. Eu achava que era um replay quando na verdade era em tempo real. Estava ocorrendo naquele exato momento o maior ataque terrorista que da história do mundo moderno.Mal imaginavam os DeMolays brasileiros que em Nova York, há milhares de quilômetros do Brasil, uma pessoa testemunhava de forma presencial a tragédia e lutava para salvar o maior número de vidas possíveis.
 Estava eu outro dia vendo sites da Ordem DeMolay nos Estados Unidos e me deparei com o site da Ordem DeMolay no estado de Nova York. Lá tinha uma carta do Mestre Conselheiro Estadual de Nova York, Irmão Michael A. Hernandez. Nesta o referido Irmão falava de uma campanha em prol da construção do Memorial e Museu do 11/09. Pedia então o engajamento dos membros e Capítulos da Ordem DeMolay do estado de Nova York com a doação de pelo menos 1000 dólares.
A Campanha por si só já justifica o apoio mas a Ordem DeMolay deveria apoiar também por um motivo em especial, o qual ele cita na carta. Naquele fatídico 11 de setembro todas as forças policiais e de bombeiros que puderam ser direcionadas no salvamento das vítimas foram em direção ao World Trade Center. Ninguém sabia ainda de fato o que havia ocorrido mas pessoas estavam feridas e precisavam de ajuda, isso só já bastava para o envio, algo louvável.
Nas palavras dele, os oficiais e militares que ajudavam eram pessoas comuns resolvendo uma situação totalmente incomum. Uma dessas pessoas comuns era um bombeiro de Nova York  que se chamava Michael H. Haub. Relata o Irmão Hernandez que este não era apenas mais um membro do Corpo de bombeiros de Nova York mas também era um Senior DeMolay, Past-Mestre Conselheiro do Capítulo Nassau, em Long Island.O Irmão Michael Haub nascera no dia 13 de junho de 1967 em Hollies Queens – Nova York e cresceu em Mineola, no Condado de Nassau, Long Island. Em 8 de agosto de 1999, já como membro do Corpo de Bombeiros de Nova York, passou 12 semanas em um treinamento rigoroso na Academia. Como parte do treinamento, o qual expõe novos bombeiros a desafios únicos no trabalho em diferentes partes da cidade, o Irmão Haub foi transferido em janeiro de 2001 para um quartel no centro de Nova York. No coração da Times Square. O Irmão Haub era um dos 17 bombeiros e oficiais estavam voltando da folga e não poderiam fazer “ouvidos de mercador” em grito de sua cidade para obter ajuda, ele e seus amigos deixaram o quartel naquela manhã para o que viria a ser o seu alarme final, estiveram entre as primeiras equipes a chegar ao local do desastre para socorrer e salvar os feridos.

 Irmão Michael Haub

Quando as Torres começaram a ruir não houve tempo para que ele saísse junto com sua equipe. Sendo assim acabou, infelizmente,sendo um dos  343 bombeiros e oficiais que morreram com o desabamento das Torres Gêmeas naquele dia, além de ser um dos 343 bombeiros que ajudaram a re-definir a palavra “HEROI”.Deixou esposa e dois filhos. Postumamente foi premiado com a Legião de Honra Ativa.
O heroísmo expressado por esse Irmão não pode externado em palavras. Foi em memória a ele e a sua família o Gabinete do Mestre Conselheiro Estadual de Nova York desenvolveu uma campanha de apoio a construção do Memorial e Museu do 11/09, relata o Irmão Hernandez. Diz ele que qualquer contribuição ao memorial será bem vinda e que a Ordem DeMolay tem o potencial de ultrapassar em muito os mil dólares, relata. O memorial do 11 de setembro relembrará a honra de mais de 3 mil pessoas que morreram no ataque.    
Além do Irmão Haub, mais dois DeMolays foram vítimas do ataque naquele dia, os quais são Edward Thomas Earhart, estava no Pentágono, era Suboficial de 1ª Classe da Marinha dos EUA e foi Mestre Conselheiro do Capítulo “Cave Run”, no estado de Kentucky, bem como o Irmão Jon Vandevander, o qual era corretor e trabalhava no WTC, também Past-Mestre Conselheiro do Capítulo C. Metzger e Chevalier. 
  
Que jamais esqueçamos de episódios como estes, só assim lembraremos como alienações podem fazer com que o homem se destrua por si só.

A memória de todos os herois que lutaram para tentar fazer do mundo um mundo melhor.

E foi assim que a Ordem DeMolay perdeu um de seus membros mas ganhou um verdadeiro herói na sua história. O dia foi 11 de setembro de 2001, há quase 10 anos.



Nota: O Blog do Capítulo Sete Lagoas parabeniza o Blog de Sítio: www.memoriadaordem.blogspot.com por seu Conteúdo completo e repleta de ''causos'' interessantes sobre a Ordem DeMolay.